“Minhas fotografias são um vetor entre o que acontece no mundo e as pessoas que não têm como presenciar o que acontece. Espero que a pessoa que entrar numa exposição minha não saia a mesma”. Essa frase é do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado. Artista das lentes considerado um dos maiores do mundo na sua área. Esse pensamento também pode se encaixar no que se sente ao fruir as fotografias da artista Mickaelly Moreira. Mossoroense umbilical, além da assistência social e da docência, Mickaelly se descobriu também na arte, mais especificamente no teatro e no ato de fotografar.

Mickaelly Moreira está com uma camisa preta, argolas, sorrindo, cabelo por cima do ombro. De fundo, uma parede de lambes com tons de roxo

A sua relação com a fotografia começou cedo, ainda entre os olhos da mãe, quando esta adquiriu uma máquina simples. O suficiente para que o instinto de loba aflorasse em Mickaelly. Segundo ela, a rua passou a ter um outro significado: o de capturar momentos; contar histórias. E, até hoje, é principalmente isso que ela mais gosta de fotografar.

O que não passava de um passatempo, hoje, transformou-se num instrumento de trabalho, e sobretudo, num “instrumento político” (palavras da própria Mickaelly). Ela diz que “o poder [..] que as imagens tem e a inquietação que elas podem causar” são alguns dos fatores que lhe motivam, mostrando o que, muitas vezes, está diante dos nossos olhos, mas nem sempre conseguimos enxergar. E isso se traduz nas muitas sensações causadas tanto em quem registra quanto em quem é registrada e registrado.

Com Mickaelly, a sensibilidade e o cotidiano constituem o mesmo espaço. Nesse caso, a mesma fotografia. 

Para que vocês pudessem usufruir desse belo trabalho, separamos algumas fotos do verdadeiro memorial da artista Mickaelly Moreira. 

Boa exposição!

Exposição Brincadeira de menina – Menina de aproximadamente 2 anos com uma roupa em tons de vermelho e verde, de cócoras e com chupeta. Ela está segurando uma serpentina de carnaval, que se mistura com outras pelo chão. Ao redor da menina tem pernas de outras pessoas. FOTOGRAFIA: Mickaelly Moreira
Andarilho – Homem de costas andando numa rodovia com roupas simples apoiando uma espécie de saco nas costas. Mais à frente dele, uma placa de trânsito e um posto de combustível. A foto é em preto e branca).

Avião Aparentemente um avô, com cabelo branco e camisa clara, segurando no colo o seu neto que está segurando um balão de encher em formato de um carro de desenho animado. Por trás, um palco de shows.
Balões – Em primeiro plano, um menino vestindo uma camisa listrada, com a cabeça direcionada para a lateral direita segurando diversos balões de encher com o desenho de personagens infantis. Ao seu lado, uma mulher vestindo uma camisa branca, com o olhar sério e a mão na cintura. De fundo, outras pessoas conversando.
Fada Madrinha – Na lateral direita da foto tem uma senhora sentada numa cadeira . Ela está com o cabelo preso, uma blusa azul, uma saia florida e chinelos. Do outro lado da imagem, uma pessoa numa rede listrada, onde só aparece os seus pés e o chinelo embaixo. O piso da casa é de pedras lisas e as paredes, cor-de-rosa envelhecido. 

Fada Madrinha – A mesma senhora da foto anterior num ângulo mais próximo e a foto está em preto e branco.
Fora Bolsonaro – Um rapaz com cabelo grande e com máscara segurando um cartaz que está escrito “contra toda forma de opressão”. Ele está apoiado numa bicicleta vermelha na praça Cícero Dias, em Mossoró/RN. Ao seu redor, outras pessoas com máscara.
Maternar – Mulher vestida com trajes característicos de baiana, predominantemente branco, mas com cores amarela, rosa e preto também. Ela está ajeitando o turbante de uma criança, aparentemente sua filha. 
O Rei – Menino de aproximadamente 5 anos com camisa vermelha, um macacão jeans por cima e uma sandália crocs, em primeiro plano. Ele está olhando para o lado direito da foto, com confetes de carnaval no cabelo e na rua. De fundo, pessoas indistinguíveis.  
Pós-parto Imediato – Numa sala de pós-parto, um pai com roupa hospitalar, máscara, touca e óculos de grau, olhando para sua filha recém-nascida. Ao fundo, cortinas. 
Retrovisor – Menino pelos seus 14 anos na rua direcionado a um carro que está parado no sinal. Ele demonstra um rosto cansado. Ao redor, outros carros também parados. A foto está em preto e branco. 
Sarau do Grupo Galpão – Três atores do Grupo Galpão, companhia de teatro brasileira, em cima de três tablados apoiados um no outro. O primeiro ator da esquerda para direita está abaixado, com os dois braços para frente, boca aberta e olhos expressivos; o segundo, virado para o lado direito e com o braço esquerdo levantado; e o terceiro, virado para o lado direito, com o pé esquerdo levemente em meia ponta e o braço direito num ângulo de 90°. A foto está em preto e branco.
Siriguela do Senegal – Senhor com cabelo branco e camisa vermelha, olhando para baixo, com siriguelas na mão. Ao redor, um pé de siriguela e um muro de tijolos ao fundo. 
Trabalhador – Uma pessoa capinando o mato de um canteiro numa rodovia de mão dupla. Foto em preto e branco.
Velho Chico – Um menino de aproximadamente 2 anos tomando banho de rio, só de cueca e olhando para as mãos. A água faz um movimento circular. Em primeiro plano desfocado, na parte superior da imagem, há folhas e galhos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram