A artista Renata Soraya e o artista Dionízio do Apodi, a partir de um desejo antigo, criaram uma série que homenageia mestres e mestras do município de Apodi, interior do Rio Grande do Norte. A série, denominada “Mestres do Apodi”, conta com 7 episódios, onde cada um apresenta a história, a vida e os ensinamentos de uma figura ímpar da cidade e região.

(#paracegover: Renata Soraya  com camisa vermelha, flor no cabelo e sorrindo ao lado de Dionízio do Apodi, que está com uma camisa florida, óculos de grau e também sorrindo, segurando a filha deles, que está dormindo e está com outra flor no cabelo. De fundo, uma parede com uma xilogravura)

Segundo a e o artista, a ideia surgiu da vontade de disseminar e eternizar o conhecimento dessas pessoas. Vontade esta fortalecida a partir do contato direto do casal para com os mestres e mestras. “Nos sentimos privilegiados em presenciar a existência deles, de perceber a importância de cada mestre nas suas comunidades, e principalmente sermos instrumento para levar esses saberes que cada mestre ou mestra carrega, para outros públicos, através da nossa série”, ressalta Dionízio e Renata. Para eles, é inevitável passar por essas grandes figuras sem se transformar. Por isso, a série Mestres do Apodi é uma forma de compartilhar essa transformação com o mundo. 

Pouco antes da série ser produzida, uma mestra e um mestre chegaram a falecer, o que acelerou o desejo de realizá-la. Dessa forma, a série Mestres do Apodi teve a sua primeira exibição no mês de maio de 2021, e de lá para cá, vem sendo compartilhada em todo o Estado potiguar. Por isso, no blog Reticências Culturais não poderia ser diferente.

A partir de hoje, toda semana você vai poder conferir um novo episódio da série Mestres do Apodi aqui no blog. No episódio de hoje, você vai conhecer o mestre Chico Augusto. Confira:

Chico Augusto à frente da foto com uma camisa quadriculada azul com branco e um boné verde. Em segundo plano, uma de suas invenções com seu nome estampado e o nome do município, e em terceiro plano, a barragem do Apodi – foto: Ari Oliveira

SINOPSE:

Ele confessa que não teve infância. Dividia seu tempo entre o estudo (cursou até a quarta série) e o trabalho na roça. Mas desde muito jovem percebeu que tinha vocação para inventar, para mexer com engrenagens. Nascido na zona rural de Apodi, quando veio morar na zona urbana viu o sonho de ser inventor ficar mais perto. E assim passou a fazer suas invenções e a se destacar com sua inteligência, raciocínio rápido e frases filosóficas, resultado de um homem que está o tempo inteiro pensando no sentido das coisas.

Chico Augusto com uma calça jeans, chinelo, uma camisa quadriculada, um boné verde e um óculos pendurado sentado numa escada que leva ao avião que ele construiu – foto: Ari Oliveira

Tornou-se o guardião das águas da Barragem de Santa Cruz, a quem dedica tempo e carinho. Está à frente de seu tempo e é capaz de projetar a vida na terra para daqui a quinhentos anos. Do Apodi para o mundo, o inventor CHICO AUGUSTO – Mestre do Apodi.

Chico Augusto, que está com uma camisa quadriculada, falando e gesticulando. Por trás, a barragem do Apodi sangrando – foto: Ari Oliveira

Esse é Chico Augusto, um dos mestres de Apodi!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram