O campeonato de poesia falada do Rio Grande do Norte, o SLAM RN, está com as inscrições abertas para a competição deste ano, e elas seguem até o dia 01 de setembro. Pela segunda vez consecutiva, o evento vai acontecer de forma virtual, e qualquer poeta/poetisa do Estado pode participar. 

#paracegover: Sete participantes do Slam RN 2020 dispostos na tela em formato virtual. Na ordem de cima para baixo, da esquerda para direita: Larissa Galvão, Carlos Guerra Júnior, Karlla Araújo, MC Turmalina, Hamilton Chambela, Larissa Araújo e Canniggia Carvalho. FOTOGRAFIA: frame de um vídeo.

Se tu ainda não sabe do que eu estou falando, presta atenção… O termo slam surgiu na década de 80, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos. Também chamado de Poetry Slam, o movimento consiste num duelo onde os participantes batalham literalmente as suas poesias. No confronto, os poetas contam apenas com as palavras e com as suas performances. 

Com um caráter (r)evolucionário, o slam tornou-se, ao longo dos anos, não só um acontecimento poético, mas também um movimento social, cultural, histórico e artístico, onde xs artistas desaguam angústias, desejos, demandas, lutas, através de temas, dos quais os mais comuns são o racismo, violência, discriminação, entre outros. O Slam chegou ao Brasil por volta do ano de 2008, inicialmente na cidade de São Paulo – um dos maiores pólos do movimento no país. No entanto, logo se ramificou.

#paracegover: Imagem em preto e branco do Slam BR do ano de 2018. Na foto, quatro mulheres apresentam as poesias uma ao lado da outra. No centro tem um púlpito e atrás das participantes tem um palco. Três das mulheres estão com o braço levantado. FOTOGRAFIA: Voz das Comunidades.

De acordo com um levantamento realizado pelo Slam BR, em 2019, o Brasil já contava com mais de 210 grupos espalhados pelo país. E (para a nossa felicidade), o RN está dentro disso. 

O Slam no Estado Potiguar já está na sua 4ª edição, e ele funciona da seguinte forma: são três fases em que xs participantes apresentam suas poesias autorais num tempo de até 3 minutos, e cinco jurados dão notas de 0 a 10. Com isso, das cinco notas, tira-se a mais alta e a mais baixa, soma-se as três que ficarem e divide por 3. Aquele resultado é a nota daquelx artista. 

Eu conversei com Larissa Galvão, uma das organizadoras do Slam Mossoró e Slam RN, e ela me contou que a competição por aqui acontece de forma completamente independente, acontecendo, segundo ela, por amor e pela arte. “Recebemos apoio de parceiros que admiram essa cultura, como a UERN (Universidade do Estado do Rio Grande do Norte), que está sempre conosco, e outros apoiadores individuais, mas só”.

#paracegover: Larissa com o cabelo cacheado e curto, blusa vermelha, e a mão esquerda está por cima do ombro esquerdo. O fundo está monocromático com tons de cinza claro, e uma luz amarela levemente bate na parte lateral da artista. FOTOGRAFIA: arquivo pessoal.

Larissa acredita que o projeto está em ascensão, e esse formato online – aderido desde 2020 devido à pandemia da COVID-19 – tem possibilitado que o Slam alcance outros espaços, “mas ainda tem muito a crescer e acrescentar na cultura da nossa cidade e Estado”. E tem mesmo. E muito.

Para participar do campeonato estadual de poesia falada de 2021, basta preencher o formulário que pode ser encontrado nos perfis de instagram @slammossoro, @rimacentral084 e @batalhadogueto. O participante deve ter 4 poesias autorais de até 3 minutos para apresentar e ter disponibilidade para participar da competição em formato de live a partir da segunda semana de setembro. O evento será transmitido pelo Youtube e pelas páginas do Slam no Facebook. As datas de realização ainda serão divulgadas. 

A premiação desse ano será um livro, uma camisa dA Firma, além de uma vaga no Slam BR, representando o Estado do Rio Grande do Norte. Por enquanto, a forma presencial ainda não será possível, no entanto, é um dos desejos para os próximos anos.

#paracegover: grupo de 17 artistas posando para foto representando o Slam RN. Nessa época, não tinha pandemia, por isso, estão sem máscara e aglomerados. Todes estão no palco de um Teatro, e por trás tem um telão com o nome “SLAM RN”. FOTOGRAFIA: desconhecido

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram