Sabe, o arrepio de uma fruição é tão poderoso quanto a natureza. A fruição da arte, digo. Afirmo isso porque é o que tem acontecido comigo (e acredito que com outras pessoas de Mossoró) ao saber que tem uma galera de jovens artistas, sedentos por cultura – as suas culturas -, transbordados de vontade de fazer o negócio acontecer, colorindo os quatro cantos da cidade – visuais, sonoros, virtuais, atmosféricos – com o que os fazem sentir a vida na sua plenitude: a arte. O desejo que dá a mim, Luiza, é ocupar a plateia desse mágico espetáculo que não necessariamente requer palcos, teatros, castelos, cortinas [não só, como também], mas as ruas, calçadas, esquinas e alguém para ver e ouvi-los. Para eles, o palco legítimo é o mundo.

Essa “galera” que cito é formada por b-boys, rappers, DJ’s, graffiteiros, ilustradorxs, poetas, poetisas, videomakers, pintorxs, entre outros artistas. E é a partir dela que Mossoró vive entre os dias 20 a 24 de setembro, o Festival de Hip Hop na Escola de Artes, o primeiro de muitos que virão. O Festival, que contou com recursos da Lei Aldir Blanc do Estado do Rio Grande do Norte, reúne hip hop, lambe-lambe, graffiti, shows de rap, apresentações de break dance, entre outras atrações. Tudo de forma virtual, devido às limitações ainda demarcadas pela pandemia da COVID-19, através do canal do Youtube Hip Hop Mossoró.

A ideia inicial era revitalizar o Beco dos Artistas, viela situada no Centro da cidade, conhecida por ser um espaço cultural. O local está bem desgastado, por isso a iniciativa do pessoal de dar uma repaginada no ambiente. No entanto, o projeto teve que ser readaptado após os comerciantes localizados na travessia Martins Vasconcelos não autorizarem a atividade. Foi aí que os artistas pensaram na possibilidade de realizar ações relacionadas à Escola de Artes de Mossoró. Uma delas foi a utilização dos muros na lateral da Escola como verdadeiras telas. O resultado foi um verdadeiro painel de obras de arte pintadas, graffitadas, ilustradas, coladas no muro lateral do equipamento, que dá de frente para a Avenida Jerônimo Dix-Neuf Rosado.

“A forma que a gente conseguiu realizar o projeto foi de ir levando de pouquinho em pouquinho o pessoal para fazer arte lá no muro”. Caboco, rapper e um dos realizadores do Festival.

#paracegover: em primeiro plano, o MC e beatmaker Comedor de Camarão graffittando o muro da Escola de Artes. Ele está de óculos escuro, uma camisa cinza e uma bermuda em tons de preto, além de estar segurando um tubo de tinta spray. De fundo, desfocado, o graffiteiro Edu Bandeira fazendo a sua arte no muro. FOTOGRAFIA: Cláudio Roberto.

O Festival começou no dia 20 de setembro (segunda-feira), com a estreia de um vídeo mostrando como foi todo o processo de revitalização do muro da Escola de Artes de Mossoró. Lembrando que toda a programação vai acontecer de forma virtual, por meio do canal de Youtube HIP HOP MOSSORÓ. A produção documental mostra como os painéis ficaram com as obras de arte e conta com entrevistas des artistas convidades. Saca só alguns trechos:

“Desde que eu me aproximei da arte urbana, com graffitti, pixo, lambe, todas essas linguagens, eu tenho buscado trazer a minha arte para rua para ver se a vida fica um pouco melhor”, explica Selvagem, graffiteiro e um dos realizadores do Festival, em um dos trechos do vídeo.

A ideia de ocupar espaços urbanos é descentralizar um pouco a arte e acabar dando a ela uma postura mais democrática”. Danielle S. Brito, publicitária e comunicóloga, em um dos trechos do vídeo.

Assista ao vídeo completo do primeiro dia do Festival Hip Hop na Escola de Artes:

Muito legal, né? E não parou por aí! Nesta quarta-feira, 22 de setembro, às 17h, no canal Hip Hop Mossoró, vai rolar a exibição de uma entrevista com os meninos do Pé de Barro, um grupo de dança de rua daqui de Mossoró. E na sexta-feira (24), também às 17h, encerrando a programação do Festival Hip Hop na Escola de Artes, o canal vai transmitir pockets shows com alguns e algumas rappers daqui de Mossoró. Todas as gravações foram feitas entre os meses de março e junho de 2021.

#paracegover: os pés, alguns com chinelo, descalços ou com tênis, juntos fazendo um círculo. No centro, o nome “Pé de Barro” desenhado na areia. A imagem está com a grade de fotografia. FOTOGRAFIA: desconhecido.

CONHEÇA XS COLABORADORXS DO FESTIVAL:

PRODUÇÃO CULTURAL
Caio Cesar Muniz
Edu Bandeira
Comedor De Camarão
Caboco

IMAGENS E EDIÇÕES
Caio Cesar Muniz
Cláudio Palheta
Caboco

ARTISTAS PLÁSTICOS 
Selvagem (Edu Bandeira)
Rayron Caboco
Andrade
Geo Coelho (Cola da Preta)
Lalunacheia
Witchlay
Comedor De Camarão
Antiplano
Auriene Nogueira
Haissa Hussemania
Danielle S. Brito
Caboco
Ana Paula

Entrevista com o Grupo Pé de Barro

POCKETS SHOWS DE RAP
DJ Vilmont
Caboco
Cabocla de Jurema
Comedor De Camarão

IDENTIDADE VISUAL
Comedor De Camarão

ANIMAÇÃO
Caboco

TRILHA SONORA
Caboco
Comedor De Camarão

FINALIZAÇÃO DE IMAGENS
Caboco

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

One reply on “Festival Hip Hop na Escola de Artes acontece nesta semana de forma virtual”

  • Goretti Alves
    outubro 2, 2021 no 7:37 pm

    Parabéns a todos que participaram do projeto

Instagram