Quando se fala em arte e cultura, principalmente relacionado a incentivos e políticas públicas, nem sempre os resultados são tão positivos. Na verdade, é comum uma cultura do não-investimento para com esse setor. Não estou generalizando, contudo, é mais fácil ouvirmos falar da falta do que do inverso. 

Em 2017, o Ministério da Cultura havia lançado os dois primeiros volumes do Atlas Econômico da Cultura Brasileira, no qual visava estabelecer um panorama para medir a participação e contribuição do setor no Produto Interno Bruto (PIB) do país. Nele, mostrou-se que a cultura representava, em 2010, cerca de 4% do PIB anual brasileiro. Isso, com o pouco investimento e incentivo que o segmento recebia na época. Imagina aí quais seriam os números caso a cultura recebesse o que ela de fato merece?

Apesar desse cenário de precariedade, quando algumx artista ou grupo é beneficiado, isso é motivo, sim, de alegria. Entenda-me: não de contentamento, mas não deixa de ser uma vitória. E é nesse sentido que falo sobre a Cia. A Máscara de Teatro, grupo da cidade de Mossoró-RN, que teve um terreno doado pela Prefeitura Municipal para construir a sede própria do grupo. Foi através do Projeto de Lei do Executivo da data 12/12/2019, aprovado pelo Legislativo no mesmo ano, que esse feito foi possível.

#paracegover: Jeyzon Leonardo, ator da Cia. A Máscara de Teatro, encontra-se em pé, de costas, com uma boina e uma casa com o nome do grupo. À sua frente, tem um grupo de pessoas sentado no chão em um semicírculo assistindo outras três pessoas que estão em pé no centro com um livro na mão de cada uma. A pessoa da direita da foto está com a sua mão esquerda levantada. Todos e todas estão em cima de uma lona estendida no chão do novo espaço da Cia. A Máscara de Teatro. FOTOGRAFIA: desconhecido.

Com o espaço reconhecido e legitimado, o próximo passo é a estruturação do local. Sem recurso para isso, o jeito está sendo recorrer a parcerias, patrocínios, doações e colaborações em geral, seja com uma tinta ou até com as próprias mãos de quem for. E toda a população mossoroense pode ajudar. 

O Blog Reticências Culturais foi até a sede, localizada na rua Antônio Vieira de Sá, nº 156, no bairro Nova Betânia, para conversar com Luciana Duarte e Jeyzon Leonardo, atriz e ator, respectivamente, da Cia. A Máscara de Teatro, para saber como está o processo de construção da obra e como as pessoas podem ajudar. 

A Cia. A Máscara de Teatro existe desde 1999 e conta com uma trajetória cheia de experiências e aventuras teatrais vividas não só em Mossoró, mas também, em todo o país. Com uma lista de grandes espetáculos, como Medeia (2007), Viagem Aos Campos de Alfenim (2014), Dois (2015) e A Farsa (2018), o grupo mossoroense já tinha ocupado outros espaços como a casa de espetáculos da Companhia, mas nunca antes a sede própria. Até agora.

#paracegover: cena do espetáculo Deus Danado (2016), da Cia. A Máscara de Teatro. A atriz Luciana Duarte e o ator Jeyzon Leonardo estão olhando para uma luz. Ela um pouco mais embaixo do que ele. A foto está em preto e branco. De fundo, desfocada, a plateia. FOTOGRAFIA: Marla Batalha.

O terreno já está sendo usado quase diariamente como base para a Cia. para pesquisas e encontros de laboratórios teatrais, como oficinas e ensaios. No entanto, debaixo de Sol e chuva. Aos poucos, o lugar vai se formando.

Hoje, uma baita equipe de profissionais e incentivadores da arte e da cultura mossoroense já está trabalhando em prol da construção: engenheires, atores, atrizes, bailarines, jornalistas, artistas plásticos, entre outros. Já existe a arquitetura do que pode vir a ser a Casa dA Máscara, mas até lá, o caminho é longo e árduo. E a gente sabe que um processo como esse não é nada fácil. Por isso, o convite àqueles que podem colaborar de alguma forma. E pode ser você, carx leitorx. 

Se interessou na causa? Então, dê só uma olhada na vídeo-reportagem que o Blog Reticências Culturais fez para você.

Aproveitem…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram