O que é bom, deve sempre ser lembrado. Histórias, caminhos, canções, momentos, figuras. E uma daquelas bem importantes de se ouvir é Dona Celi, a cantadora e contadora de dramas do município de Apodi, uma das protagonistas da série Mestres do Apodi, obra audiovisual realizada pela bailarina Renata Soraya e o ator Dionízio do Apodi. A série foi produzida no início do ano de 2021 e exibida no mês de maio, através do coletivo Bater Sete Freguesias.

A produção Mestres do Apodi traz sete nomes de pessoas, verdadeiros mestres e mestras, que mostram a riqueza cultural, histórica, social desse município potiguar e, também, de cada umx delxs. Desde um cientista até uma mãe capaz de tudo pelos filhos, a série permeia universos que muitas vezes vivem ao nosso redor, mas nem sempre são notados. Universos estes fontes de inteligência e vida, na sua plenitude.

Aqui no Reticências Culturais, você já pôde conferir os episódios do mestre Chico Augusto, cientista que se banha das águas da Barragem de Santa Cruz e mergulha seus sonhos no poder do inventar, e o episódio do mestre Raposo, rei do congo apodiense e dono de um dos pastéis mais cobiçados e antigos de Apodi.

Agora, vocês poderão assistir novamente ao episódio da mestra Dona Celi, mulher, matriarca, corajosa, detentora de canções e cantigas de drama percorridas por sua mãe e fincadas em si. Mãe de três filhos surdos que viveu e vive os diversos obstáculos de uma sociedade dotada de capacitismo e discriminação social.

“A vida tem muitas coisas de alegria, muitas, de tristeza, muitas coisas difíceis, mas eu nunca tive tristezas. Eu tenho emoções, agora, triste eu nunca fui, do jeito que eu sou”.
Dona Celi, mestra do Apodi.

#paracegover: Dona Celi está em pé, juntamente com seus três filhos enfileirados ao seu lado. Todos estão à frente da parede da fachada da casa deles. A parede está desgastada, com tijolos e cimento à mostra. FOTOGRAFIA: Ari Oliveira.

Dona Celi é exemplo de mulher, de mãe, de humana; é poder da natureza que nem todos têm o privilégio de sentir.

Conheçam Dona Celi…

SINOPSE:

Ela afirma que não pode realizar os sonhos que teve na sua infância. Sonhava ser cantora porque gostava de cantar. Não estudou muito por falta de oportunidade mas batalhou para que seus filhos surdos tivessem esse direito. Quem a conhece sabe que um encontro casual com essa mestra pode se transformar em duas, três horas ouvindo-a cantar as dezenas e dezenas de dramas que herdou de sua mãe. Seu nome escrito é COELI, mas ninguém a conhece assim. Sua sina é cantar. No episódio de hoje, da comunidade de Lagoa Rasa, zona rural de Apodi para o mundo, a cantadora e contadora de dramas: Dona Celi.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram