Em setembro, vocês puderam desfrutar de uma playlist cheia de memórias, afetividade, abraços, que nos causou muita, mas muita nostalgia. A playlist foi criada pela cantora Alzinete di Oliveira, um dos ícones da Música Popular Mossoroense.

Já neste mês de outubro, o tema será outro. Adivinha? MULHER. Uma temática cheia de ramificações, significações e, claro, muita representatividade. Por isso, o blog Reticências Culturais convidou a atriz e professora de teatro, Maria Luiza Lopes.  

#paracegover: Maria Luiza é branca e tem o cabelo liso e loiro. Na foto, ela está olhando para a câmera, com um óculos de sol e uma camiseta colorida. Suas unhas estão pintadas cada unha de uma cor. Ela está estendendo a mão em direção à câmera. Ela está ao lado de uma parede de fitas do Senhor do Bonfim. Está de dia. FOTOGRAFIA: desconhecido.

Com Sol em Virgem, ascendente em Peixes e Lua em Capricórnio, já dá para perceber o turbilhão que permeia essa mulher, não é mesmo? Rsrs. Maria Luiza Soares Lopes tem, hoje, 36 anos, é mossoroense nata, mas, como ela mesma diz, “é cidadã do mundo”. A arte apareceu na vida dela ainda criança, quando as primeiras pegadas confundiam-se com primeiros passos, o que levou a sua mãe a matriculá-la numa escolinha de dança. Bingo. A partir daí, surgiu o teatro e o circo (maiores paixões), e consequentemente, a docência na área da arte. 

“Sou um emaranhado de contradições, se encontrando no desejo infinito de se reinventar todos os dias. Fragmentos de memórias e experiências vividas e sentidas que me trouxeram à mulher que fui/sou e ao lugar de onde hoje falo”.
Maria Luiza Lopes, atriz e professora de teatro. 

Mulher, feminista, artista, professora, militante e mãe da gata Luna, Maria Luiza Lopes não consegue enxergar a vida sem poesia. E com a arte, ela tem a possibilidade de enxergar o mundo pelos olhos da sensibilidade. “Quem é a artista Maria Luiza?”, pergunto, e ganho como resposta um “alguém que acredita que a arte nos move a mudar o mundo. Se não for assim, não tem sentido. Estou interessada numa arte que provoque os sentidos, que promova reflexões e mudanças sociais. Fazer arte é a minha maneira de estar no mundo, meu grito de denúncia, meu pedido de socorro. É onde sinto que posso ser ouvida”. Forte, não é? Verdadeiro. 

Em contraponto às belezas da vida, viver no Brasil de hoje é um dos desprazeres da nossa multiartista:

“Não gosto de viver nesse Brasil de hoje. Meu corpo inteiro se enrijece diante da barbárie que estamos presenciando. Não consigo digerir o fato de ter comida na minha mesa enquanto 19 milhões de pessoas no Brasil passam fome. Crise hídrica, ambiental, sanitária e política. Nunca presenciei tanto caos e desordem”.
Maria Luiza Lopes, atriz e professora de teatro.  

#paracegover: Maria Luiza está com uma máscara branca, um óculos de sol, uma camiseta preta com a frase “jamais poderão aprisionar nossos sonhos”, alguns adesivos de “Fora Bolsonaro” colados, uma calça jeans com um adesivo “Lula 2022”, um tambor improvisado preso na cintura e ela está segurando uma baqueta em cada mão. O seu braço esquerdo está levantado. Ela está caminhando na rua, numa espécie de protesto. Por trás, outras mulheres e uma bandeira da Marcha Mundial das Mulheres. FOTOGRAFIA: Renato Gomes.

Não para menos. Ver a arte aqui no Brasil sendo, dia após dia, pisoteada e humilhada pelos podres poderes exercidos pelos homens – como diz Caetano – é no mínimo desanimador e decepcionante. Mas temos pessoas como Malu e instrumentos como o Reticências Culturais para nos lembrar que a arte sobrevive e resiste, nos fazendo crer num futuro melhor. 

O tema “MULHER” para a playlist deste mês de outubro é bem particular para Maria Luiza, uma vez que ela é bem engajada na luta pelos direitos da mulher. Por isso, ela decidiu criar um repertório composto só por mulheres, artistas e brasileiras. Além de optar, também, pela escolha de mulheres de mais de um gênero, dando cada vez mais a representatividade que elas, que nós, merecemos. 

Sem mais delongas, usem e abusem da playlist de Outubro do Reticências Culturais, MULHER, criada pela multiartista Maria Luiza Lopes. Não esqueçam de compartilhar muitoooooo!

“Espero que curtam, escutem e consumam mais conteúdo artístico produzido por mulheres”.
Maria Luiza Lopes, atriz e professora de teatro.

Aproveitem…

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram