Em 19 de março, comemora-se o Dia do Artesão, esse e essa artista que tem, literalmente, nas mãos o dom de criar, de construir, de esculpir, sempre com muito zelo, cuidado e arte. Muita arte. A história conta que 19 de março é o dia de São José, pai de Jesus Cristo e carpinteiro de mão cheia, segundo o catolicismo.

Em alusão à data e a importância do artesanato para a arte, a cultura e o mundo de uma forma geral, nesta quarta-feira (23), acontece, em Mossoró-RN, o Encontro de Artesãos, o 1º da classe da cidade. O evento busca incentivar o desenvolvimento de uma visão de negócios desses profissionais. O encontro faz parte da abertura da Semana do Artesão e será realizado no Auditório do SEBRAE, a partir das 19h. 

Na ocasião, será ministrada a palestra “Artesanato Como Negócio”, para mostrar à categoria possibilidades de empreendedorismo envolvendo essa arte, garantindo-a como fonte de renda dos profissionais. Outro ponto que será explanado na conversa é sobre de que forma os e as artesãs podem administrar os recursos vindos dos seus trabalhos.

A palestra será aberta ao público. Portanto, poderão participar tanto os trabalhadores e trabalhadoras do artesanato quanto a população em geral. 

O Encontro de Artesãos, assim como a Semana do Artesão, é uma realização do Serviço Brasileiro de Apoio Às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), juntamente com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Turismo (SEDINT), Secretaria de Assistência Social e Cidadania (SEMASC) e Frente Parlamentar em Defesa do Turismo (FRENTUR).

#paracegover: cartaz de convite do evento com as informações de horário, local, data, palestra e empresas parceiras. O cartaz é predominantemente azul.

SAIBA MAIS

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no Brasil, o artesanato em nível comercial é desenvolvido por aproximadamente 8 milhões de artesãos e artesãs. A pesquisa revela ainda que o setor fatura mais de R$50 bilhões por ano, o que representa cerca de 3% do PIB (Produto Interno Bruto), do país. 

As primeiras políticas públicas voltadas para o artesanato foram desenvolvidas na década de 1990, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, através do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), idealizado pela primeira-dama Ruth Cardoso.

No entanto, foi apenas em 2015, que a profissão foi regulamentada, o que possibilitou quase 10 milhões de brasileiros a criarem e produzirem os seus próprios negócios na área. Isso aconteceu a partir do Projeto de Lei nº 13.180, sancionado pela ex-presidente Dilma Rousseff.

Por aí, dá para perceber que uma boa qualificação profissional a esses profissionais só traz benefícios aos mesmos e às mesmas e, consequentemente, ao país.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram